SP amanhece parada; prefeitura faz cárcere privado de servidor

Por Fernando Brito, Tijolaço

É visível que o governismo e o patronato jogam pesadíssimo contra a greve de hoje, mas o fato é que boa parte do país está parada.

Parada, apesar das pressões que acontecem, da qual o melhor exemplo é a política de senzala posta em prática em algumas repartições da prefeitura de São Paulo, depois de se revelar que era uma farsa  a historinha de “táxi e uber” grátis para os servidores, adotou.

Um cidadão, que se candidata desde já ao troféu de bobagem fascista do ano, obrigou “espontaneamente” servidores humildes a dormirem na subprefeitura de Pinheiros e gravou um vídeo com os “cativos” de boa-vontade onde solta uma pérola: “Nós somos a favor do direito à greve, mas não em dia de trabalho”.

Ou seja, o cara acaba de inventar a “greve” no dia de folga, nas férias, nos feriados…A sua inteligência é diretamente proporcional a esta estranha ideia de “democracia”.

Aquela onde o exercício do direito do cidadão depende da permissão da “autoridade”.

O fascismo não apenas está entre nós como recebe festas dos meios de comunicação.

Leia::  Reforma trabalhista de Temer permite trabalho de grávidas em local insalubre

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *