Recebido como “presidente”, Doria diz não saber de onde veio a campanha antecipada

Enquanto trai o governador Geraldo Alckmin (PSDB) à luz do dia, abandona a cidade de São Paulo e faz campanha presidencial antecipada, o prefeito de São Paulo, João Doria (PSDB), exercita o cinismo ao dizer desconhecer quem preparou as faixas “Doria presidente” com as quais foi recebido em Palmas (TO) nesta manhã; “Não se trata de fazer pré-campanha, mas de compartilhar métodos de gestão. De toda forma ajuda sim, a conhecer a realidade do interior do País”, disse o tucano; Doria tenta repetir a estratégia de seu guru Donald Trump, que tomou de assalto o Partido Republicano e se tornou presidente dos Estados Unidos, deixando para trás nomes tradicionais da máquina partidária; resta saber como Alckmin agirá para enquadrar sua cria

Do Brasil 247

O prefeito de São Paulo, João Dória (PSDB), negou nesta segunda-feira, 14, ter o objetivo de fazer pré-campanha para a eleição presidencial de 2018, ao viajar pelo País. O prefeito tucano foi recebido em Palmas pelo prefeito Carlos Amastha (PSB), e por militantes do PSDB que exibiam faixas e camisetas escrito “Doria presidente”.

Doria exercitou o cinismo ao dizer desconhecer quem preparou as faixas. Segundo o senador Ataídes Oliveira (PSDB), o prefeito não teria ligação com a campanha antecipada.

Oficialmente, o tucano veio à capital tocantinense para uma pauta institucional com empresários, na condição de um dos vice-presidentes da Frente Nacional de prefeitos. “Não se trata de fazer pré-campanha, mas de compartilhar métodos de gestão. (…) De toda forma ajuda sim, a conhecer a realidade do interior do País”, disse ele.

Doria tenta repetir a estratégia de seu guru Donald Trump, que tomou de assalto o Partido Republicano e se tornou presidente dos Estados Unidos, deixando para trás nomes tradicionais da máquina partidária. Resta saber como Alckmin agirá para enquadrar sua cria.

Leia::  Um ano depois, golpistas chafurdam na lama

Amastha rompe com Ataídes

O chefe do executivo da capital afirmou que o ato do senador Ataídes Oliveira (PSDB-TO) em filiar prefeitos que deixaram o PSB representa “o rompimento” entre seu partido e o PSDB. “Está aqui o grande conciliador João Dória”, disse o prefeito, numa alusão a uma possível ação de Dória para reverter o ato”, disse Amastha.

O distanciamento entre Ataídes e Amastha começou com a aproximação da vice-prefeita de Palmas, Cínthia Ribeiro (PSDB), com o grupo do prefeito na primeira licença de Amastha neste segundo mandato, o que interpretado por Ataídes como uma “traição”.

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *