Propina do Bank Boston/Itaú para sonegar não dá manchete

Por Fernando Brito, Tijolaço

O Ministério Público apresentou  denúncia à 10ª Vara de Fazenda Pública contra 11 pessoas acusadas de “perdoar”débitos de R$ 800  milhões  do Bank Boston no Conselho Administrativo de Recursos Fiscais  – auditores da Receita, advogados, contadores e um diretor do banco – de forma fraudulenta e com o pagamento de milhões em propina.

Até agora o assunto está sendo tratado pela mídia com grande discrição e ninguém está questionando o fato de o Banco Itaú, que começou a comprar o Bank Boston em 2006 – justamente quando começou a propinagem, que se estendeu até 2015 – ter ficado fora do processo.

É de se supor que as auditorias feitas pelo Itaú devam ter registrado estes imensos débitos fiscais que, um por um “despareceram”, reduzidos a quantias ínfimas. Será que os dirigentes do banco dos Setúbal não sabiam de nada e se limitavam a um “ôba, que bom!” quando a Receita anulava penalidade de até meio bilhão de reais, em valores atualizados?

Mas eles certamente não sabiam de nada, não é?

O texto da denúncia pode ser lido aqui.

Leia::  O traidor do traidor

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *