Procuradora aceita denúncia e vai investigar Bolsonaro por racismo

Declarações de ódio do deputado Jair Bolsonaro (PSC-RJ) contra negros, índios e mulheres na palestra no clube Hebraica do Rio de Janeiro serão investigadas pelo Ministério Público Federal; procuradora Ana Padilha, da Procuradoria Regional dos Direitos do Cidadão do MPF-RJ, instaurou procedimento contra Bolsonaro; denúncia feita pelo partido Frente Favela recebeu assinaturas favoráveis de atores como Fernanda Torres, Adriana Esteves, Camila Pitanga, Lázaro Ramos, Cassia Kiss e Alexandre Nero; na PGR tramitam outros dois pedidos de investigação contra o presidenciável do PSC, que disse que negros “não servem nem para procriar”; no fim de semana, entidade judaica internacional B’nai B’rith soltou nota de repúdio pela “xenofobia e o racismo” das declarações de Bolsonaro

Do Brasil 247

As declarações de ódio do deputado Jair Bolsonaro (PSC-RJ) contra negros, índios e mulheres na palestra no clube Hebraica do Rio de Janeiro (leia aqui) serão investigadas pelo Ministério Público Federal.

A procuradora Ana Padilha, da Procuradoria Regional dos Direitos do Cidadão do MPF-RJ, decidiu aceitar a denúncia feita pelo partido Frente Favela e instaurou procedimento contra Bolsonaro. Segundo o colunista Ancelmo Gois, os dirigentes da Hebraica do Rio também serão investigados. O pedido de investigação recebeu assinaturas favoráveis de atores como Fernanda Torres, Adriana Esteves, Camila Pitanga, Lázaro Ramos, Cassia Kiss e Alexandre Nero.

Leia::  Depois do golpe, direita perdeu a rua, mas ainda não perdeu o poder

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *