Papa Francisco rejeita visitar o Brasil de Temer

Em uma carta a Michel Temer, o pontífice recusa um convite para visitar o Brasil, feito formalmente no fim de 2016, para as celebrações dos 300 anos da aparição de Nossa Senhora Aparecida, e cobra o presidente para evitar medidas que agravem a situação da população carente no País; “Sei bem que a crise que o país enfrenta não é de simples solução, uma vez que tem raízes sócio-político-econômicas, e não corresponde à Igreja nem ao Papa dar uma receita concreta para resolver algo tão complexo”, diz Francisco, acrescentando que não pode, porém, “deixar de pensar em tantas pessoas, sobretudo nos mais pobres”; ele atribui a recusa do convite à sua intensa agenda e afirma que acompanha “com atenção” os acontecimentos na maior nação da América Latina

Brasil 247

O papa Francisco enviou uma carta a Michel Temer em que recusa seu convite para visitar o Brasil para as celebrações dos 300 anos da aparição de Nossa Senhora Aparecida, feitas em 2017. O convite foi feito formalmente pelo presidente no fim de 2016.

Na carta, o pontífice faz uma espécie de puxão de orelha no peemedebista, quando o cobra para que evite medidas que agravem a situação da população mais carente no País. “Sei bem que a crise que o país enfrenta não é de simples solução, uma vez que tem raízes sócio-político-econômicas, e não corresponde à Igreja nem ao Papa dar uma receita concreta para resolver algo tão complexo”, diz ele em um trecho, divulgado pelo jornalista Gerson Camarotti, da Globonews.

“Porém não posso deixar de pensar em tantas pessoas, sobretudo nos mais pobres, que muitas vezes se veem completamente abandonados e costumam ser aqueles que pagam o preço mais amargo e dilacerante de algumas soluções fáceis e superficiais para crises que vão muito além da esfera meramente financeira”, acrescentou.

Leia::  O país onde garotas estão em evidência por se vestir de homens

O papa atribui a recusa do convite de Temer à sua intensa agenda e afirma que acompanha “com atenção” os acontecimentos na maior nação da América Latina. Por último, Francisco lembrou Temer que não se pode “confiar nas forças cegas e na mão invisível do mercado”, em um momento em que o governo tenta aprovar reformas que agradem os investidores.

Em agosto do ano passado, Francisco enviou uma carta em apoio a Dilma Rousseff, quando ela ainda não havia sofrido o impeachment, apesar de já estar fora do cargo de presidente.

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *