Na intervenção militar Tabajara, Temer recua e desiste de prisão coletiva

Ministro da Defesa, Raul Jungmann, diz que mandados coletivos são para busca e apreensão; “Me referia anteriormente a mandado coletivo de captura. Na verdade, o mandado coletivo é de busca e apreensão. Este mandado de busca e apreensão é feito pelas polícias, não é feito pelas Forças Armadas e só é feito a partir de uma ordem judicial e acompanhado pelo Ministério Público”, afirmou, após reunião com o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ); mesmo os mandados coletivos de busca têm causado polêmica e deve atingir a população mais pobre

Do Brasil 247

O governo Michel Temer recuou e desistiu da decisão de pedir à Justiça permissão para que o Exército possa comprar mandados de prisão coletiva durante a intervenção federal do Rio de Janeiro.

Após reunião com o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), o ministro da Defesa, Raul Jungmann, disse que os mandados coletivos que serão pedidos à Justiça são exclusivos para busca e apreensão.

“Me referia anteriormente a mandado coletivo de captura. Na verdade, o mandado coletivo é de busca e apreensão. Este mandado de busca e apreensão é feito pelas polícias, não é feito pelas Forças Armadas e só é feito a partir de uma ordem judicial e acompanhado pelo Ministério Público”, afirmou.

Antes, o ministro havia dito: “você precisa ter o mandado de busca e apreensão e captura coletiva”.

Leia::  No auge do puxa-saquismo, Globo publica poema de Temer na capa

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *