Moro condena Cunha a 15 anos de prisão. E agora: vai delatar Temer?

Condutor do golpe de 2016, o ex-deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ) acaba de ser condenado pelo juiz Sérgio Moro a 15 anos e quatro meses de prisão, o que pode aproximar o ex-parlamentar de uma delação premiada; Cunha já demonstrou ter munição contra Michel Temer, após entregar o peemedebista em questionamentos sobre irregularidades em recebimento de recursos de empreiteiras, o que para Moro foi visto como uma tentativa de intimidação e chantagem; recentemente, notícias deram conta de que o ex-deputado estava prestes a surtar dentro da prisão, mais um sinal de que pode abrir o bico

Do Brasil 247

O juiz Sergio Moro, da Lava Jato, condenou nesta quinta-feira 30 o deputado cassado Eduardo Cunha (PMDB-RJ) a 15 anos de 4 meses de prisão por corrupção, lavagem de dinheiro e evasão de divisas. Cunha, que já está preso, deve cumprir a pena em regime fechado.

A condenação de Cunha, condutor do golpe de 2016, que tirou Dilma Rousseff do poder, pode aproximar o ex-parlamentar de uma delação premiada. Da prisão, ele já demonstrou ter munição contra Michel Temer, além de influência em seu governo.

O ex-deputado entregou questionamentos que apontavam o envolvimento de Temer em irregularidades em recebimento de recursos de empreiteiras, o que para Moro foi visto como uma tentativa de intimidação e chantagem. O juiz barrou metade das perguntas enviadas por Cunha ao presidente.

Recentemente, notícias deram conta de que o ex-deputado estava prestes a surtar dentro da prisão, mais um sinal de que pode abrir o bico.

Leia mais na reportagem da Reuters:

Moro condena Cunha a 15 anos de prisão por corrupção, lavagem de dinheiro e evasão de divisas

(Reuters) – O ex-presidente da Câmara dos Deputados Eduardo Cunha foi condenado a 15 anos e 4 meses de prisão, além de multas, pelo juiz Sérgio Moro, responsável pela operação Lava Jato.

Leia::  Renan: Temer fará a proeza de ser o “refundador do caos”, Veja

Em sentença de mais de 100 páginas, Moro condenou Cunha por um crime de corrupção passiva, por três crimes de lavagem de dinheiro e por dois crimes de evasão de divisas.

Para o crime de corrupção, “pela solicitação e recebimento de vantagem indevida no contrato de aquisição pela Petrobras dos direitos de exploração do Bloco 4 em Benin”, Cunha foi condenado a seis anos de reclusão.

Por lavagem de dinheiro a condenação foi de cinco anos e 10 meses de prisão e por evasão de divisas o ex-deputado foi sentenciado a três anos e seis meses de prisão.

Cunha foi preso em outubro do ano passado na Lava Jato, em fatos relacionados à aquisição de um campo exploratório de petróleo em Benin, na África, pela Petrobras, no ano de 2011. A propina paga a ele teria sido depositada em uma conta secreta na Suíça. Cunha teve o mandato parlamentar cassado depois de renunciar à presidência da Casa.

Como presidente da Câmara, Cunha aceitou o pedido de impeachment que acabou levando à cassação do mandato da então presidente Dilma Rousseff.

A defesa de Cunha já avisou que vai recorrer ao Tribunal Regional Federal.

(Por Alexandre Caverni; Edição de Raquel Stenzel)

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *