“Lula é um entre candidatos em 2018”, afirma Dilma

Presidente discursou na inauguração popular da transposição do Rio São Francisco, alertando para um segundo golpe que é impedir a candidatura de Lula

por Lilian Milena, GGN

A presidente Dilma Rousseff fez um discurso emocionado, nesta tarde de domingo (19), durante a inauguração popular da transposição das águas do Rio São Francisco, realizada no município de Monteiro, no interior da Paraíba, reunindo milhares de pessoas.
Ela aproveitou a ocasião para criticar a equipe de Michel Temer pela inauguração oficial, que aconteceu no dia 10 de março, pedindo para a população não esquecer que foi no governo Lula que a obra, há décadas no papel, foi finalmente colocada em ação. “Esta é uma obra que estava praticamente concluída quando eu saí do governo”, pontuou.
“Campina Grande vai, por essa chegada da transposição, abastecer uma população de um milhão, os primeiros um milhão dos 12 milhões de pessoas que ela vai beneficiar, geralmente as pessoas mais pobres, aquelas que mais precisam”.
Dilma também criticou a reforma da previdência, avaliando que, para conseguir se aposentar com o benefício integral, os jovens vão ter que iniciar a vida no trabalho aos 16 anos, ou, ainda na infância.
“Se eles exigem 49 anos de contribuição e idade mínima de 65, se a gente diminuir 49 de 65 anos, temos 16 anos, mas se a gente lembrar que nos anos de contribuição das pessoas, muitas vezes, elas ficam desempregadas, muitas vezes não assinam a carteira delas, apesar de ser ilegal, nós vamos ver que a média é 7 anos. Daí você soma, 49 por 7 dá 56. Tira esses 56 de 65 anos dá 9 anos. Então uma criança de 9 anos pode começar a trabalhar pra ter aposentadoria integral? Não! Um jovem de 16 pode fazer isso? Não! Portanto esse projeto da aposentadoria é um golpe”.
A presidente prosseguiu alertando que o Golpe de estado está em andamento para uma segunda fase que poderá impedir a competição do ex-presidente Lula
“Mas o golpe não acaba ai, ele continua. E nós, todos aqui, temos um encontro marcado com a democracia. Esse encontro é em outubro de 2018. Esse encontro é onde nós vamos discutir os destinos desse país, todos nós. Eles sabem que se deixarmos conversar com o povo, esclarecer o povo nós ganharemos essa eleição, em outubro de 2018, ou nós seremos possivelmente, com o ex-presidente Lula, grandes competidores”, completando:
“Assim como vieram aqui e contaram a mentira que eles fizeram a transposição, eles contarão mentiras pra impedir que nós tenhamos uma eleição livre, aberta e ampla. Impedirão esta eleição? Não, porque eu tenho certeza de que o povo desse país não suporta outro golpe. E esse segundo golpe é impedir que os candidatos populares sejam colocados à disposição do povo. O Lula é um desses candidatos”.

Leia::  ‘Maia não pode presidir o Brasil porque tem o coração peludo’, diz Requião

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *