Jungmann convoca Exército e diz que Temer não aceitará baderna

Rejeitado por quase 100% dos brasileiros e investigado por corrupção, Michel Temer convocou o Exército; o recado foi dado pelo ministro da Defesa, Raul Jungmann, em coletiva de imprensa após a manifestação em Brasília contra as reformas do governo, que foi reprimida pela polícia com bombas e spray de pimenta; manifestantes fizeram uma barricada, jogaram pedras e pintaram paredes dos prédios dos ministérios, que foram evacuados; segundo Jungmann, Temer disse que não irá aceitar baderna; em nota, o secretário-geral da Confederação Nacional dos Bispos do Brasil pediu a renúncia de Temer e disse que ele não tem condições éticas de governar o País

Do Brasil 247

Rejeitado por quase 100% dos brasileiros e investigado por corrupção, Michel Temer convocou o Exército. O recado foi dado pelo ministro da Defesa, Raul Jungmann, em coletiva de imprensa após confusão durante manifestação em Brasília contra as reformas do governo.

O ato foi fortemente reprimido pelo Choque, da Polícia Miltiar, com bombas de efeito moral e de gás lacrimogêneo e spray de pimenta. Manifestantes fizeram uma barricada, jogaram pedras e pintaram paredes dos prédios dos ministérios, que foram evacuados. Há feridos e detidos.

Segundo Jungmann, Temer disse que não irá aceitar baderna. “O senhor presidente da República faz questão de ressaltar que é inaceitável baderna, inaceitável o descontrole e que ele não permitirá que atos como esse venham a turbar o processo que se desenvolve de foram democrática e com respeito às instituições”, afirmou.

“Atendendo à solicitação do senhor presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, mas também levando em conta fundamentalmente uma manifestação que estava prevista como pacifica. Ela degringolou à violência, vandalismo, desrespeito, agressão ao patrimônio público e na ameaça às pessoas, muitas delas servidores que se encontram aterrorizados”, acrescentou o ministro, em seu pronunciamento.

Leia::  No apagar das luzes, Renan envia para sanção Lei Geral das Telecomunicações

Em nota, o secretário-geral da Confederação Nacional dos Bispos do Brasil pediu a renúncia de Temer e disse que ele não tem condições éticas de governar o País.

Vídeo:

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *