Juiz derruba censura de Temer e Marcela

Acaba de cair por terra a censura imposta por Michel e Marcela Temer aos jornais brasileiros, que publicaram a história sobre a tentativa de extorsão contra o casal, em razão de um áudio que “jogaria Temer na lama”; “Não há, pois, como consentir com a possibilidade de algum órgão estatal – o Poder Judiciário, por exemplo – estabelecer, aprioristicamente, o que deva e o que não deva ser publicado na imprensa”, disse o desembargador Arnoldo Camanho de Assis; Temer e Marcela usaram um advogado da Casa Civil, Gustavo do Rocha Vale, para censurar a imprensa; história também envolve Alexandre de Moraes, que investigou o caso e se tornou credor de Temer

Brasil 247

Acaba de cair por terra a censura imposta por Michel e Marcela Temer aos jornais brasileiros, que publicaram a história sobre a tentativa de extorsão contra o casal, em razão de um áudio que “jogaria Temer na lama”.

A decisão foi tomada pelo desembargador Arnoldo Camanho de Assis, do Tribunal de Justiça do Distrito Federal, que aceitou recurso da Folha de S. Paulo e suspendeu a censura prévia.

“Não há, pois, como consentir com a possibilidade de algum órgão estatal – o Poder Judiciário, por exemplo – estabelecer, aprioristicamente, o que deva e o que não deva ser publicado na imprensa”, escreveu o desembargador. “Não há qualquer notícia, nas razões do recurso, de que a atividade jornalística da parte agravanteseja pautada por uma linha editorial irresponsável ou abusiva, potencialmente violadora da intimidade de alguém, muito menos, no caso concreto, da autora-agravada ou de seu marido, o Excelentíssimo Presidente da República”, afirmou.

Temer e Marcela usaram um advogado da Casa Civil, Gustavo do Rocha Vale, para censurar a imprensa. A história também envolve Alexandre de Moraes, que investigou o caso e se tornou credor de Temer.

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *