Huck se lança e tenta ser o candidato dos analfabetos políticos

Implosão do sistema político brasileiro abre espaço para novas aventuras e, nesta quinta-feira, quem se lançou ao Palácio do Planalto foi o apresentador Luciano Huck, com o discurso ‘bicho, vamos usar nosso poder para o bem’; em longa entrevista à Folha, sua frase mais idiota foi: “Se foi golpe ou se não foi golpe, não importa”; como apresentador “do bem”, Huck tenta se erguer como o Berlusconi das ruínas democráticas do Brasil

Do Brasil 247

Em uma longa entrevista à Folha de S.Paulo, o apresentador Luciano Huck, da Rede Globo, praticamente já se lançou candidato ao Palácio do Planalto e defendeu que é a hora da sua geração “ocupar os espaços de poder”.

Com um discurso permeado de clichês “do bem” e defendendo um “apartidarismo”, Huck mostrou que seu projeto político é basicamente se aproveitar dos analfabetos políticos: “o único jeito de arrumar esse país é se a gente conseguir fazer um pacto apartidário. Sem revanchismo, sem revolta. Se foi golpe ou se não foi golpe, não importa.”

Há dez anos, Huck declarou que gostaria de se candidatar à Presidência. Questionado se este momento havia chegado, ele não negou.

“Esta é sempre a pergunta pegadinha. Não dá para responder na atual conjuntura. Falando seriamente, nossa geração chegou a um momento em que tem capacidade, saúde, força de trabalho, relevância, influência. Quem entrou na faculdade em 1990 está chegando agora aos espaços de poder. Faço parte desta geração. Estamos vivendo um trauma moral e ético que se soubermos capitalizar para o bem, tenho convicção de que daqui a 10, 20, 30 anos vamos ter um país de fato diferente e mais justo.

Leia::  Renan: Temer fará a proeza de ser o “refundador do caos”, Veja

Já faço política, fazendo televisão aberta no Brasil, com o poder que a Globo tem, trazendo boas histórias, dando opinião. Agora, se me perguntarem se vou concorrer a algum cargo eletivo, eu não sei responder. E qualquer tipo de resposta é especulação, fofoca.”

Clique aqui para conferir a entrevista na íntegra.

One comment

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *