Hacker ameaçou jogar nome de Temer ‘na lama’ com divulgação de áudio

Da folha:

Um áudio usado por um hacker para tentar extorquir dinheiro da primeira-dama, Marcela Temer, em abril do ano passado, jogaria o nome do então vice-presidente, Michel Temer, “na lama”, segundo ameaça do criminoso.

O áudio, furtado de um celular de Marcela clonado pelo hacker Silvonei de Jesus Souza, era uma mensagem de voz de WhatsApp enviada originalmente por ela ao irmão, Karlo Augusto Araújo.

Todo o conteúdo de um celular e contas de e-mail de Marcela foram furtados por Souza.

“Pois bem como achei que esse video [na verdade, áudio] joga o nome de vosso marido [Temer] na lama. Quando você disse q ele tem um marqueteiro q faz a parte baixo nível… pensei em ganhar algum com isso!!!!”, escreveu o hacker a Marcela, pedindo-lhe R$ 300 mil para não divulgar o arquivo.

O hacker foi condenado em outubro a 5 anos e 10 meses de prisão por estelionato e extorsão e cumpre pena em Tremembé (SP).

“Tenho uma lista de repórteres que oferecem [R$] 100 mil cada pelo material”, continuou o criminoso, em mensagem enviada a Marcela. As mensagens de texto entre o hacker e Marcela constam do processo contra ele, que teve o sigilo levantado recentemente.

“Você acha que isso prejudicaria alguém? Então, você quer dinheiro por causa desse áudio?”, respondeu a primeira-dama, acrescentando ser “do bem” e que o áudio era “montagem”.

O hacker responde: “Sabe q não é montagem, não tem cortes. É a sua voz se identificando que estudava no Porfírio. Não existe como fazer montagem assim”, replicou o criminoso. Escola Estadual General Porfírio da Paz é o nome de onde Marcela estudou na infância, em Paulínia (SP).

O episódio do hacker foi amplamente noticiado, mas com foco na chantagem para que não fossem divulgadas fotos familiares de Marcela, que também estavam no celular clonado.

Leia::  Só países em grave crise tiveram queda do PIB maior que a do Brasil

(…)

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *