Compra de vaga na CCJ reforça nova acusação contra Temer

Episódio emblemático ocorrido nesta segunda-feira 10 pode dar força à nova denúncia que já será feita pelo procurador-geral da República, Rodrigo Janot, contra Michel Temer pelo crime de obstrução à Justiça, por ter mandando silenciar Eduardo Cunha e Lúcio Funaro; o deputado Delegado Waldir, do PR de Goiás, acusou hoje o governo Temer de “comprar” sua vaga na Comissão de Constituição e Justiça da Câmara, para ganhar votos contra a denúncia por corrupção que será votada esta semana no colegiado; “Me venderam. Governo corrupto, vai cair. Sabem o que é isso? Barganha!”, disse, aos gritos, o parlamentar substituído, que também chamou Temer de “bandido”; com o feito, Temer reincidiu na obstrução

Do Brasil 247

Prestes a ser denunciado novamente pelo procurador-geral da República, Rodrigo Janot, pelo crime de obstrução judicial, Michel Temer reincidiu na prática nesta segunda-feira 10.

A fim de conseguir votos ao seu favor na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara, contra a denúncia por corrupção que será votada no colegiado nesta semana, diversos partidos trocaram seus membros no colegiado.

O deputado Delegado Waldir, do PR de Goiás, acusou o governo Temer de “comprar” sua vaga na Comissão, notícia que ficou sabendo pela imprensa, pouco antes do início da sessão em que o relator, Sergio Zveiter (PMDB-RJ), leria seu parecer favorável à admissão da denúncia.

“Me venderam. Governo corrupto, vai cair. Sabem o que é isso? Barganha!”, disse, aos gritos, o parlamentar que foi substituído na CCJ (assista ao vídeo aqui).

Com o episódio, Temer reincidiu na obstrução à Justiça. A denúncia de Janot se baseia em acusações de que Temer tenha mandando silenciar Eduardo Cunha e Lúcio Funaro, que estão presos.

Leia::  Programa do golpe fracassou, mas falta a saída antes de 2018

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *