CNI, que apoiou o golpe, vê indústria cair 12% em 2016

Por Lucas Marchesini no Valor Econômico

“Castelo Branco destacou que ‘a grande ociosidade no parque industrial significa taxa de rentabilidade muito baixa ou negativa, o que é impeditivo não só da retomada do investimento como fragiliza a sua situação financeira’. Na passagem de novembro para dezembro, os indicadores subiram 1% e 0,2%, respectivamente.

A alta no nível de emprego foi a primeira depois de 23 meses consecutivos de recuo, destacou Castelo Branco. Apesar disso, os indicadores de renda na indústria caíram tanto entre novembro e dezembro quanto na comparação entre 2015 e 2016. O ano terminou com recuo de 1,6% na massa salarial e queda de 1,2% no rendimento médio. No ano, o recuo foi de 8,6% para a massa salarial e 1,2% para o rendimento médio real. Os dados são deflacionados pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC).

A Utilização da Capacidade Instalada (UCI), por sua vez, teve uma queda entre novembro e dezembro na série dessazonalizada, ao passar de 76,4% para 76%. “A UCI terminou 2016 no menor nível histórico, indicativo de grande folga que existe na indústria, o que é limitador da retomada de investimento”, diz o economista.”

Leia::  Em SP, trabalhadores do transporte coletivo confirmam adesão à greve geral

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *