“A Globo fortalece a democracia”: depois de poeta, Bial ataca de humorista

por Nathalí Macedo, DCM

Calado, Pedro Bial é um poeta.

Na estreia da nova temporada de seu programa “Conversa com Bial”, na Globo, ele disse à Folha que a emissora fortalece a democracia.

Pronto, a piada era essa.

“A direita diz que a Globo é comunista, o que é sensacional de ouvir [irônico]. A esquerda diz que a Globo é fascista e golpista, o que também é hilário.”, disse, em tom de riso.

Afora a dicotomia barata e demodê esquerda-direita – que, por si só, não fortalece a democracia – de onde, afinal, ele tirou que a direita diz que a Globo é comunista?

Talvez meia dúzia de gatos pingados que ainda acreditam que tudo é comunismo – pior, que ainda acreditam que existe comunismo, mas, maciçamente, a direita é (des)informada (e controlada) pela Rede Globo, Veja e similares.

É vergonhoso que um jornalista com mais de 40 anos de carreira se preste ao papel de defender a emissora que apoiou o golpe militar de 64 e o golpe jurídico-parlamentar de 2016 – com o Supremo, com tudo – só porque é esta a emissora que o emprega.

Um homem médio – e isso certamente (assim esperamos) inclui Pedro Bial – sabe que destituir uma presidente democraticamente eleita que não cometeu crime de responsabilidade, contrariando o que diz a Constituição Federal, não tem muito a ver com fortalecer a democracia.

A vencedora como afirmação mais esdrúxula da noite, entretanto, foi dizer que “a globo privilegia a notícia.”

A globo pode privilegiar tudo – banqueiros, políticos que a financiam e perdoam suas dívidas fiscais –, menos a notícia.

O jeito Globo de noticiar é nitidamente tendencioso, e isso ainda não é o pior.

Será que Bial não sabe dos 50 milhões pagos pela Globo em propina pelo direito à exclusividade nas transmissões das copas de 2026 e 2030?

Leia::  Mídia consegue algo inédito: um presidente denunciado por corrupção

Será que não tem acompanhado as reportagens sobre o caso Marielle, que omitem que a vereadora era uma das principais ativistas contra o 41º Batalhão do Rio de Janeiro, mais conhecido como Batalhão da Morte?

Será que nunca viu “Muito além do Cidadão Kane?”

Bial criticou também o jornalismo de opinião feito na internet.

Se há uma coisa capaz de quebrar – e está quebrando – o monopólio da informação exercido pela Rede Globo, essa coisa é a mídia independente, que se dá justamente na internet, e isso tem incomodado a emissora, que nada pode fazer a respeito.

“Opinião é como bunda, dá quem quer”, arrematou.

Melhor quando fazia poesia barata para os “heróis” do Big Brother Brasil.

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *